História do Aikido

 
 

Aikido é essencialmente uma manifestação moderna das artes marciais japonesas (Budo).

Seu fundador, Morihei Ueshiba, nasceu no dia 14 de dezembro de 1883, em Saigo, município de Tanabe (atual Wakayama, cidade perto de Osaka, Japão). Jovem de frágil constituição física, viu inúmeras vezes o pai apanhar de adversários políticos. Esses acontecimentos o fizeram jurar para si próprio que iria ser forte, não poupando esforços para isso. Aos vinte anos já tinha obtido sucesso em
seu intento.

De sua formação em artes marciais, O-sensei comprovadamente estudou nas escolas de Goto-ha Yagyu Shingan-ryu Tai Jutsu, Daito-ryu Aiki-ju



Mestre Sokaku Takeda
 

Algumas técnicas básicas do Aikido moderno derivam do Daito-ryu Aiki-jujutsu, ensinado a O-Sensei pelo mestre Sokaku Takeda, todavia, as técnicas mais antigas remontam há uns setecentos anos.

Militar, agricultor e filósofo, Morihei Ueshiba buscava um templo para orar por seu pai doente quando conheceu a religião Oomoto, através do Reverendo Onisaburo Deguchi , de quem se tornou discípulo. Este encontro marcou profundamente
O-sensei, que desde pequeno tinha interesse pelo estudo espiritual.


Foi com base nessas experiências que o mestre Ueshiba transformou, desenvolveu e criou as técnicas para o Aikido atual, substituindo o termo ‘jutsu’ (técnica de combate) pelo termo ‘Do’ (caminho espiritual), elevando-o de uma arte marcial para um princípio superior. Essa mudança ocorreu em 1925, considerado o ano do nascimento do Aikido.
 



Reverendo Onisaburo Degushi
e O-Sensei Morihei Ueshiba



O-Sensei Morihei Ueshiba

Morihei Ueshiba considerava o verdadeiro Budo um caminho para aceitar o espírito do Universo, para manter a paz no mundo, protegendo e cultivando convenientemente todas as coisas da natureza.

Em 1927 mestre Ueshiba muda-se para Tóquio e começa a prestar serviços à família Imperial, ensinando Aikido. Nessa época é contratado para lecionar na Academia Naval. Em 1931 consegue fundar seu dojo em Tóquio, com o nome de Aikido Ueshiba Dojo Kobukan. Logo depois é construído o dojo especial de Iwama (Ibaraki-ken), que combina o treino em um dojo aberto a ao ar livre com o cultivo da terra.


^ topo

   

Dojo de Iwama

Com o advento da Segunda Guerra Mundial e a vitória Aliada, as tropas de ocupação no Japão tornam proibida a prática de artes marciais até 1948, quando começa o ressurgimento
do Aikido.

Até poucas semanas antes de sua morte, o Fundador era o instrutor responsável pela turma das seis e 30 da manhã na Academia Central (Hombu-dojo).

Morihei Ueshiba faleceu no dia 26 de abril de 1969 com a idade de 85 anos. Nesse mesmo dia, o governo japonês conferiu-lhe a Ordem do Tesouro Sagrado, considerada a mais elevada de todas as honrarias por ele recebida, pela criação do Aikido.


O-Sensei Morihei Ueshiba ministrando aula

O objetivo primordial do Aikido não é derrotar um oponente em algum jogo trivial, mas sim, a superação das limitações e o triunfo sobre nossos medos e fraquezas.

Mas o Aikido é também uma defesa pessoal e suas técnicas sâo potencialmente letais. Portanto deve ser praticado com toda a concentração e intensidade.

Explicando o propósito de sua arte em uma palestra, Mestre Ueshiba assim concluiu:

“O Budo não é um meio de se derrotar um oponente pela força ou com armas letais. Também não é seu propósito levar o mundo à destruição pelas armas ou por outros meios ilegítimos.
O verdadeiro budo busca ordenar a energia intrínseca do Universo, protegendo a paz mundial, moldando e também preservando tudo na natureza em sua forma correta.
Praticar o budo é essencial para fortalecer, em meu corpo e em minha alma, o amor do kami, a divindade que gera, preserva e nutre todas as coisas na natureza.”




Fonte:
Website Aikido Rio de Janeiro